Manual de Sobrevivência na Crise para Pequenas e Médias Empresas

GRÁTIS

CompareAdded
1 Vendidos

Descrição

Manual de Sobrevivência na Crise para Pequenas e Médias Empresas

Conteúdo do Arquivo

O conteúdo abaixo é uma previsão parcialmente formatada do arquivo. Para obter a versão editável grátis, compatível com Microsoft Word, Documentos Google ou qualquer outro editor de texto, utilize a opção Baixar Agora.

RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS

E MÉDIAS EMPRESAS

- "Manual de Sobrevivência na Crise" - Janeiro de 1998.Confederação Nacional da Indústria

2

RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

- "Manual de Sobrevivência na Crise" -As empresas, principalmente as pequenas e médias, estão enfrentando grandes dificuldades devido às elevadas taxas de juros, redução do nível de atividade da economia e aumento da competição no mercado. Esse documento apresenta uma série de recomendações gerenciais para auxiliar as empresas a enfrentarem, de forma mais adequada, este período de dificuldades, bem como torná-las mais fortalecidas para competir em um mercado cada vez mais concorrido. As recomendações para as empresas se dividem em quatro grupos principais:

1. Priorizar a gestão financeira

2. Aumentar a produtividade com a redução de custos

3. Aperfeiçoar a política de vendas e marketing

4. Investir em qualidade e tecnologia

O importante é o empresário não se deixar vencer pela pressão e, conseqüentemente, tomar decisões apressadas ou baseadas em poucas informações. O momento poderá ser um forte estímulo para modificar práticas inadequadas e incluir novos procedimentos que tornem a empresa mais eficiente e competitiva..Confederação Nacional da Indústria

1. Priorizar a Gestão Financeira

As orientações quanto à gestão financeira têm por objetivo fazer com que a empresa busque equilibrar uma equação básica:

1) de um lado, as disponibilidades e direitos a realizar, representados pelos recursos depositados e aplicados em bancos, contas a receber, estoques e possíveis ativos não produtivos; e

2) de outro lado, as obrigações a cumprir no que diz respeito aos fornecedores, empréstimos, pessoal, impostos e encargos previdenciários. Ao administrar eficientemente cada um dos componentes mencionados e, ao mesmo tempo, obter a sintonia do conjunto de direitos e obrigações, a empresa poderá ser menos atingida pelos elevados custos das taxas financeiras atuais.

a) Estoques

As pesquisas realizadas pela CNI mostram que os prazos médios de estoques praticados pelas pequenas e médias indústrias brasileiras tem sido os seguintes: a) matérias-primas: 32 a 35 dias, e b) produtos acabados: 15 a 21 dias.

No caso dos estoques com matérias-primas recomenda-se sua redução por meio de uma melhora significativa das previsões e programações de produção e de vendas. Outro fator importante é aumentar o relacionamento da empresa com seus fornecedores de forma a receber os suprimentos de matéria-prima em intervalos e lotes menores, buscando-se aplicar o conceito de just in time, ou seja, que os suprimentos cheguem à empresa o mais próximo possível do momento que serão utilizados na produção. A empresa precisa somente ter uma preocupação maior com os itens considerados estratégicos, ou seja, aqueles de difícil aquisição ou que dependam de entrega demorada.

Quanto aos estoques de produtos acabados, sua redução depende de dois fatores principais: 1) melhorar a previsibilidade quanto à colocação de produtos no mercado – neste momento de dificuldades é preferível ser conservador e errar para menos do que carregar estoques com elevado custo financeiro;

2) oferecer descontos para tornar a venda mais atrativa pois tais descontos poderão ser mais compensadores que o custo de manter os estoques de produtos acabados..Confederação Nacional da Indústria

b) Contas a receber

A empresa necessitará aplicar uma atuação mais vigorosa em relação às contas a receber de seus clientes exercendo um rígido acompanhamento e cobrança das vendas realizadas a prazo. Este é um momento em que muitos clientes poderão ter dificuldades em cumprir seus compromissos e, portanto, justifica-se uma ação mais presente e constante. Poderá também ocorrer de alguns clientes terem recursos financeiros disponíveis e estarem dispostos a efetuar seus pagamentos antecipadamente, caso a empresa esteja disposta a conceder um desconto que seja superior à taxa de aplicação em bancos.

c) Caixa e Bancos

Este é um período para cuidar mais atentamente dos recursos disponíveis e aplicados em bancos. Em primeiro lugar, pesquisando a melhor taxa para aplicação e evitando deixar recursos depositados sem remuneração (como às vezes ocorre com os recursos advindos dos pagamentos dos clientes e que a empresa não toma conhecimento no mesmo dia em que são pagos). Em segundo lugar, nem sempre a aplicação financeira é a forma mais rentável. Antecipação de pagamentos a fornecedores ou compras de matérias-primas poderão ser obtidas com taxas de descontos financeiros superiores às taxas de remuneração dos bancos.

d) Ativos não produtivos

Não é raro encontrar empresas que possuem máquinas, equipamentos e imóveis que não estão sendo utilizados no processo produtivo. Se a empresa não tem uma utilização prevista para estes ativos, no curto e médio prazos, a melhor medida é vendê-los ou alugá-los ensejando o ingresso de recursos. Esse procedimento, inclusive, poderá significar redução de custos com manutenção, vigilância e seguros.

e) Fornecedores

A empresa deve estar alerta com relação às dívidas com fornecedores. A orientação é a empresa entrar com contato com os fornecedores assim que perceber que terá dificuldades em cumprir os prazos de pagamentos e, assim, negociar o reescalonamento de seus débitos antes dos vencimentos. Quando o compromisso já está vencido, diminui sensivelmente a capacidade negociadora da empresa, daí a importância de negociar com antecedência. Os custos financeiros decorrentes do atraso de pagamentos são sempre mais elevados..Confederação Nacional da Indústria

f) Empréstimos bancários

Com as elevadas taxas de juros atuais, é melhor evitar, ao máximo possível, tomar novos empréstimos. De outro lado, também será bastante difícil o processo de renegociação das dívidas devido ao aumento da seletividade e maior rigor dos bancos. Por isso, torna-se mais importante, ainda, que a empresa adote várias medidas que reduzam a necessidade de capital de giro. Essas medidas passam pela diminuição dos prazos de estoques de matérias-primas e de produtos acabados, de redução dos prazos de entrega de produtos e de outras providências que são mencionadas neste documento.

g) Pessoal

Existem empresas que efetuam os pagamentos de seus empregados antes da data limite estabelecida pela legislação. Neste caso, a empresa poderá, temporariamente, enquanto perdurar o quadro de dificuldades, efetuar o pagamento no último dia útil permitido. Este procedimento, juntamente com outros adicionais, poderá contribuir para atenuar as dificuldades financeiras.

h) Impostos e encargos previdenciários

Quanto aos impostos e encargos previdenciários atrasados a empresa deverá procurar, o mais urgente possível, sua negociação com parcelamento do débito no número maior de meses possível. Este procedimento visa impedir o aumento significativo da dívida pela incorporação das multas e juros por atraso. 2. Aumentar a Produtividade com a Redução de Custos As orientações para aumentar a produtividade com a redução de custos objetivam aumentar a rentabilidade das empresas e diminuir alguns itens mais significativos de custos de produção e administrativos.

a) Apuração e controle de custos

Esta é a oportunidade para melhorar significativamente a apuração e controle de custos da produção e administrativos. É necessário a obtenção de informações detalhadas e seguras sobre o comportamento dos custos para se adotar medidas de redução e estabelecer metas que promovam a maior eficiência da empresa. Possuir dados relevantes é o primeiro passo para aperfeiçoar o planejamento de qualquer empresa. Esta medida será Fundamental para se atacar corretamente os desperdícios de materiais, retrabalho, perdas de energia e outros itens importantes de custos..Confederação Nacional da Indústria

b) Desperdícios de materiais

Recomenda-se promover um levantamento preciso das perdas de materiais que podem estar ocorrendo na armazenagem, movimentação e durante o processo produtivo Em várias empresas o percentual de desperdício de materiais é significativo. Pesquisa da CNI realizada em 1997 mostra que o percentual de defeitos nas micro, pequenas e médias é da ordem de 3,6 a 5,3% do total de produtos fabricados. Esses defeitos, em muitas situações, representam parcelas significativas de perdas de materiais.

c) Retrabalho

Da mesma forma que o desperdício de materiais outro componente de elevação de custos é o desperdício do tempo consumido pelo retrabalho, ou seja, produtos que necessitam passar outra vez por fases de produção para corrigir eventuais defeitos. Sugere-se, também, que este item seja alvo de especial atenção das empresas.

d) Energia

Outro item que poderá merecer atenção das empresas com vistas à redução de custos é o consumo de energia. Notadamente nas pequenas e médias empresas é freqüente a utilização de iluminação e de motores com capacidade acima do necessário, bem como baixo isolamento e conservação das linhas de condução de vapor. Recomenda-se que a empresa faça um diagnóstico para a correção destes problemas com vistas ao uso racional da energia.

e) Informação – a "Internet"

Os empresários estão ainda com baixíssima utilização da Internet para informações de negócios. O investimento em equipamentos e acesso à Internet é bastante baixo e poderá trazer enormes benefícios. Primeiramente porque poderá significar uma redução no custo das comunicações – é bem mais barato utilizar a Internet do que o fax ou o telefone. Segundo, a Internet é uma poderosa fonte de informações sobre negócios. Recomenda-se que o pequeno e médio empresário dedique algumas horas por semana para consultar as páginas das agências de informações, das entidades empresariais, de instituições tecnológicas, etc. Essa prática fará com que a empresa tome decisões baseadas em um número maior de informações..Confederação Nacional da Indústria

3. Aperfeiçoar a Política de Vendas e Marketing As recomendações apresentadas a seguir têm como objetivo reforçar a presença da empresa em um mercado cada vez mais difícil e exigente. Particularmente neste período de menor atividade econômica as melhores possibilidades estarão com as empresas que se comunicam com mais eficiência com seus clientes e que ofereçam condições diferenciadas em relação aos seus concorrentes.

a) Comunicação com clientes

Já mencionamos anteriormente a importância da comunicação com clientes. Este é o momento para que a comunicação seja ainda mais constante e que auxilie os clientes a resolver possíveis problemas, mas que, principalmente, forneça informações mais seguras sobre o comportamento do mercado. Isto tem importância fundamental para orientar a programação de produção e compras de forma a evitar o excesso de estoques de produtos acabados.

b) Prazos de entrega de produtos

O prazo médio de entrega de produtos nas pequenas e médias indústrias brasileiras é de 21 a 24 dias. Qualquer esforço de redução significa aumento da velocidade de ingresso de recursos financeiros na empresa. Este, portanto, é um dos pontos mais importantes para a empresa conseguir amenizar a pressão por capital de giro e para buscar um equilíbrio na equação de contas a receber e contas a pagar. Recomenda-se a máxima prioridade de redução deste prazo por parte das empresas. É também um forma de conquista de novos clientes neste período de menor atividade econômica, visto que os compradores estarão interessados em quem possa fornecer o mais rápido possível.

c) Serviços pré e pós-venda

Melhorar os serviços antes e depois de realizada a venda é uma das maneiras mais eficientes de conquista e manutenção de clientes. Isso significa ajudar o cliente antes da venda – para que ele receba informações e aconselhamento que lhe permitam escolher o produto mais adequado às suas necessidades, e após a venda – para que, com a devida assistência, ele possa tirar o melhor proveito do produto que adquiriu..Confederação Nacional da Indústria

8

d) Diferenciação de produtos e serviços

As empresas devem buscar tenazmente diferenciar seus produtos e serviços em comparação com a concorrência. Os clientes estão cada vez mais exigentes quanto a produtos de melhor desempenho, preços mais competitivos e um conjunto de serviços pré e pós-venda que façam a diferença. As empresas devem estar permanentemente preocupadas em adicionar valor aos seus produtos e serviços. Para isto é importante estar buscando informações sobre

o comportamento dos concorrentes, novas tecnologias e idéias criativas que possam encantar os clientes. 4. Investir em qualidade e tecnologia A empresa não pode pensar somente em atravessar o período de dificuldades mas também criar condições para tornar-se mais competitiva quando a conjuntura se apresentar mais favorável. O momento poderá servir para preparar-se melhor para o futuro, e nada mais recomendável que investir em qualidade e tecnologia.

a) Treinamento de recursos humanos

Um dos melhores investimentos, além do baixo custo, é o treinamento de recursos humanos no próprio local de trabalho. Essa prática se torna imprescindível para o programa de redução de custos e de aumento de eficiência exigido por um mercado cada vez mais competitivo. A empresa poderá se utilizar de um empregado mais bem preparado ou com maior experiência para treinar os demais. Poderá ainda fazer uso de manuais e livros disponíveis nas livrarias ou obtidos via correio. Essas publicações trazem uma série de técnicas e ferramentas que podem aumentar a qualidade e a produtividade das empresas.

b) Relacionamento com fornecedores

As pesquisas realizadas pela CNI demonstram que há ainda muito por avançar no relacionamento das empresas com seus fornecedores. Essa melhoria no relacionamento vai desde aumentar o fluxo de informações que permitam a melhor utilização das matérias-primas e componentes, até estabelecer um processo mais racional de entregas dos lotes, de forma a permitir uma redução das necessidades de capital de giro. Uma prática importante, mas ainda pouco utilizada pelas empresas, é a de definir antecipadamente com os fornecedores os critérios para aceitar os materiais adquiridos e registrar os resultados obtidos para informar os fornecedores..Confederação Nacional da Indústria

9

c) Relacionamento com clientes

Uma das principais conquistas de uma empresa é a fidelidade de seus clientes. Isto se obtém com muito trabalho mas, principalmente, com o aperfeiçoamento do relacionamento da empresa com seus clientes. É fundamental que a empresa implemente a prática de ouvir rotineiramente seus clientes para consultá-los sobre suas necessidades, expectativas e para registrar sugestões de aperfeiçoamentos de produtos. Outro procedimento chave é utilizar as reclamações recebidas como informações importantes de melhoria de processos e produtos.

d) Envolvimento e participação dos empregados

Os empregados podem se tornar uma fonte valiosa para melhorar a qualidade dos produtos e reduzir custos. Uma das maneiras mais simples e de custo muito baixo, mas que apresentam bons resultados, é estimulá-los e premiá-los pela apresentação de sugestões que signifiquem redução de desperdícios, diminuição de consumo de matérias-primas e de energia, aumento da produção de máquinas e equipamentos e melhoria da qualidade dos produtos. Prova disto é a participação de cerca de 1.000 empresas no Prêmio CNI de Incentivo à Qualidade e Produtividade e que tem proporcionado quase 80.000 sugestões de

seus empregados a cada ano. Com esta prática ganham a empresa e os empregados, além de construir um ambiente de trabalho mais motivador. Conclusão

Os avanços e benefícios alcançados pela empresa durante esta fase, quer pela redução de custos quanto pelo aumento da produtividade e qualidade, são conquistas bastante importantes. Contribuem para desenvolver a parceria da empresa com seus fornecedores e clientes. Mas elas não são suficientes para assegurar a competitividade da empresa. É necessário a empresa perseverar e adotar gradativamente novos métodos e práticas gerenciais para a obtenção contínua de melhor padrão de eficiência e excelência.

__________________________________________________________

Documento elaborado por:

Luiz Carlos Barboza

Coordenador da Unidade de Competitividade Industrial

Confederação Nacional da Indústria

Contato:

Fone:(021) 534-8154 – Fax: (021) 262-1495 – Email: lcbarboz@mail.cni.org.br

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.